ABEEólica
2 de setembro de 2022 Agência ABEEólica

A AES Brasil, geradora de energia elétrica 100% renovável, anunciou nesta quinta-feira (1º) – em parceria com o SENAI do Rio Grande do Norte – o primeiro curso de Especialização Técnica em Manutenção e Operação de Parques Eólicos exclusivamente para mulheres, no estado.

O contrato para realização do programa de capacitação foi assinado durante cerimônia na sede do governo do estado, com a presença da governadora, Fátima Bezerra, de executivos/as da companhia e do presidente do Sistema FIERN e do Conselho Regional do SENAI-RN, Amaro Sales de Araújo.

De acordo com a CEO da AES Brasil, Clarissa Sadock, o objetivo é ampliar o acesso a oportunidades de qualificação profissional e emprego em um setor que está em franca expansão, além de preparar a potencial força de trabalho feminina para futuras vagas que a empresa vai abrir, no Complexo Eólico Cajuína.

O empreendimento está em construção no estado, com entrada em operação prevista para 2023. “Nós já fizemos um programa de formação de mulheres bem-sucedido na Bahia e aqui no Rio Grande do Norte, onde o empreendimento é muito maior, trazemos essa iniciativa em outro patamar”, disse Clarissa.

“A intenção”, segundo ela, “é formar 60 mulheres, contratar uma porção desse número e deixar, também, um legado para outros empreendimentos locais terem mais pessoas de alta capacidade técnica e com formação específica para poder desempenhar essas atividades”.

Desenvolvimento
Destacando a força das energias renováveis para o Rio Grande do Norte, estado que lidera nacionalmente a geração de energia eólica em terra e que é apontado como uma das zonas mais promissoras para investimentos em futuros projetos do setor também no mar, o presidente do Sistema FIERN, Amaro Sales de Araújo, ressaltou a importância da capacitação para o desenvolvimento econômico.

“Na hora em que se investe em educação isso se traduz em mais desenvolvimento”, disse ele, acrescentando que “o estado vive um momento diferente no campo das energias”, e que a atuação do governo para tornar o ambiente de negócios favorável ao investimento tem sido fundamental nesse contexto.

A governadora, por sua vez, destacou a importância da inclusão produtiva e, sobretudo, do empoderamento feminino, buscado com a iniciativa.

O Rio Grande do Norte, segundo a AES Brasil, é um importante polo de crescimento para a Companhia. Nesta parceria com o SENAI-RN, serão oferecidas 60 vagas gratuitas a mulheres da região, com abertura de inscrições para o processo seletivo prevista para este mês. O curso terá carga horária de 460 horas, com início das aulas em janeiro do próximo ano.

“A AES Brasil busca a valorização permanente do seu principal ativo, as pessoas, e através do complexo Eólico Cajuína daremos continuidade as nossas contribuições às comunidades locais onde atuamos, fortalecendo as nossas políticas e cultura focada em diversidade, equidade e inclusão. Em parceria com o SENAI Rio Grande do Norte, ofereceremos um curso de capacitação exclusiva para mulheres em operação e manutenção de ativos eólicos que foca no desenvolvimento local e inclusão feminina”, afirma Rodrigo Porto, diretor de Recursos Humanos da AES Brasil.

Rodrigo Mello, diretor do SENAI no Rio Grande do Norte, destaca que a parceria com a AES Brasil está alinhada à estratégia da instituição com foco nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – em prol de avanços em áreas como oferta de educação de qualidade, redução das desigualdades e igualdade de gênero.

O diretor do SENAI observa que o setor de energias renováveis é um dos que mais crescem na economia e que promover o acesso à educação, para potencializar oportunidades também para a população feminina, é fundamental.

“Nós sabemos que os homens predominam, que os postos de trabalho na atividade, hoje, não são ocupados de forma igualitária. Então ter uma gigante do setor realizando esse investimento, com uma iniciativa absolutamente prática para formação profissional das mulheres, é uma contribuição importante para tornar o ambiente na cadeia produtiva o mais igualitário possível”, acrescenta Mello.

Profissionalização feminina
A AES Brasil tem por compromisso ampliar a participação de mulheres nos quadros da empresa, com criação de oportunidades para o desenvolvimento de carreira dentro dos escritórios e capacitação da mão de obra feminina para ampliar sua presença na operação. No último ano, a Companhia apresentou crescimento percentual de 32% do quadro funcional formado por mulheres, e a participação feminina tende a crescer com os investimentos recentes.

“A parceria com SENAI Rio Grande do Norte repete o sucesso do programa de capacitação de mulheres na operação e manutenção de ativos eólicos promovido junto ao SENAI Bahia. Esse projeto tem como objetivo promover a qualificação profissional dessas mulheres para que elas possam atuar em um setor em pleno crescimento e mais uma vez reforça nosso compromisso com o desenvolvimento da região em que estamos presente”, afirma Clarissa Sadock, CEO da AES Brasil.

Durante a cerimônia nesta quinta-feira, na sede do governo, além do contrato com o SENAI-RN, a empresa assinou um acordo com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar (Sedraf) para investimentos em infraestrutura hídrica na região central do estado, o que inclui a construção de poços e cisternas.

Também participaram da solenidade o diretor de operações do SENAI-RN, Emerson da Cunha Batista, o assessor da presidência da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte, Ernani Bandeira, o reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, José Daniel Diniz, os prefeitos de Angicos, Miguel Pinheiro, de Lajes, Felipe Menezes, a prefeita de Fernando Pedroza, Sandra Jaqueline, e, da AES Brasil, Bernardo Sacic, Diretor de Desenvolvimento de Novos Negócios, Rodrigo D’Elia, Diretor de Construção, Rodrigo Porto, Diretor de Recursos Humanos, Erika Regina de Lima, Diretora de Estratégia, Odemberg Veronez, Gerente de Meio Ambiente, Andrea Santoro, Gerente de Sustentabilidade, Denise Gonçalves, da Gerência de Recursos Humanos, e José Antonio Martins, Consultor de Relações Institucionais.

Sobre o complexo eólico Cajuína
A construção dos primeiros 695,0 MW do Complexo Eólico Cajuína está em fase adiantada, com entrada em operação prevista para 2023. A primeira fase do Complexo, com 324,5 MW divididos em 55 aerogeradores, já está 19% concluída. A segunda fase, com 370,5 MW de capacidade instalada, já apresenta relevante avanço das obras civis, sendo 14% concluídas. O Complexo poderá chegar a uma capacidade instalada total de 1,6 Gigawatts (GW).

O objetivo é ampliar o acesso a oportunidades de qualificação profissional e emprego em um setor que está em franca expansão, além de preparar a potencial força de trabalho feminina para futuras vagas que a empresa vai abrir, no Complexo Eólico Cajuína.

ABEEólica 2022 - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por:

Utilizamos cookies e outras tecnologias para lhe oferecer uma experiência de navegação melhor, analisar o tráfego do site e personalizar o conteúdo, de acordo com a nossa Política de Privacidade e Termos e Condições de Uso. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.